Login para sua conta

Usuário *
Senha *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com asterístico (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Repetir senha *
E-mail *
Repetir e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
Eleições 2020

Eleições 2020 (11)

Pelo menos 1,2 milhão de mineiros voltarão às urnas neste domingo (29/11) para o segundo turno das eleições de 2020. Dos nove municípios com mais de 200 mil eleitores no estado, Contagem, Juiz de Fora, Governador Valadares e Uberaba terão novo embate para a escolha do prefeito para os próximos quatro anos. 

BANNER ANUNCIE AQUI DO PAGINA LIVRE

Com o segundo maior colégio eleitoral no estado, com mais de 450 mil eleitores, Contagem vai ter a disputa entre Marília Campos (PT) e Felipe Saliba (DEM). Favorita nas pesquisas, a deputada federal, que administrou o município entre 2005 e 2012, obteve 118.955 votos válidos (41,83%) no primeiro turno, contra 52.371 de Saliba (18,42%). O candidato apoiado pelo atual prefeito, Alex Freitas (PSDB), foi Doutor Wellington, que ficou em terceiro no pleito.LIDERE

Em Juiz de Fora, outra deputada federal, Margarida Salomão (PT),disputará a prefeitura contra Wilson Rezato (PSB), apoiado pelo prefeito Antônio Almas (PSDB). No turno, a petista obteve 39,46% dos votos contra 22,96%. Salomão disputou a eleição na cidade da Zona da Mata em 2008, 2012 e 2016, mas foi derrotada por Custódio Mattos e Bruno Siqueira, respectivamente.
Já o cenário em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, terá um confronto entre o prefeito e candidato à reeleição, André Merlo (PSDB), e Doutor Luciano (PSC). Curiosamente, ambos formaram a chapa vencedora nas eleições de 2016, mas depois partiram para lados opostos. No primeiro turno, Merlo teve 49.183 votos (38,27% do total), quase o dobro do adversário, que encerrou a disputa de primeiro turno com 24.823 (19,32%). Além de prefeito, André Merlo foi secretário de Agronegócio do Estado de Minas em 2013 e 2014, no governo de Antônio Anastasia. 
Outra cidade que terá segundo turno será Uberaba. Vencedora do primeiro turno com 36,25% dos votos, Elisa Araújo (Solidariedade) vai encarar o ex-deputado estadual Tony Carlos, que terminou com 37.625 (24,99%). Sem experiência em cargo público, a arquiteta foi a primeira mulher a assumir a presidência da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) na Regional do Vale do Rio Grande. 
WhatsApp Image 2020 11 28 at 11.21.11

Os 23 VEREADORES ELEITOS EM BETIM

100,00% das seções totalizadas - 206.288 · 89,81%

Votos a candidatos concorrentes - 13.315 · 5,80%

Nulos - 10.092 · 4,39%

Brancos
1) Dudu Braga – PV – 3.938
2) Roberto da Quadra Patriota - 3.821
3) Leo Contador DEM – 3.507
4) Klebinho Rezende – 3.360
5) Tiago Santana - PC do B - 2.879
6) Professor Weligton – PSC – 2.777
7) Gregorio Silva PROS - 2.271
8) Marquinhos do Vila Cristina PV - 2.766
9) Angela Maria - Republicano - 2.655
10) Daniel Costa PT - 2.490
11) Claudinho - PSD – 2.332
12) Professor Xereu - PROS – 2.293
13) Irani Maritaca - DEM – 2.188
14) Junio Trabalhador - PSL – 2.170
15) Paulo Tekin PL – 2.111
16) Erasmo da Academia PSD – 2.097
17) Gilson da Auto Escola - Cidadania – 2.062
18) Adelio Carlos - PSC - 1.972
19) Layon Silva - PSL - 1.899
20) Zezinho do Carmo – PTB – 1.875
21) Carlin do Amigão - PTB - 1.846
22) Rony Martins – Avante – 1.515
23) Vitor Bras – Republicano – 1.215

Com 100% das urnas apuradas, o prefeito Vittorio Medioli foi reeleito em Betim para os anos 2021-2024
Ele obteve 76,34% dos votos válidos. Resultado maior do que o que foi que o obtido na eleição 2016, quando ele também foi eleito no primeiro turno, com 61,64% dos votos válidos.

Resultado completo das urnas:

Vittorio Medioli (PSD) - 76,34% (153.144 votos)


Maria do Carmo (PT) - 14,41% (28.906 votos)
Dr. Vinícius (REDE) - 3,56% (7.136 votos)
Junio Araujo (SOLIDARIEDADE) - 3,07% (6.158 votos)
Dr. Xaropinho (MDB) - 0,96% (1.930 votos)
Gabriela Clemente (PSOL) - 0,88% (1.765 votos)
Fernando Mendonça (PRTB) - 0,59% (1.192 votos)
Zulu (PCB) - 0,18% (366 votos)

Válidos - 200.597 (87,33%)
Brancos - 10.491 (4,57%)
Nulos - 18.607 (8,10%)
Abstenções - 44.807 (16,32%)

Fonte: Tribunal Superior Eleitoral

anuncie aqui

Centro Universitário Una vai promover o primeiro debate entre candidatos à prefeitura de Betim, na noite do dia 21 de outubro, às 19h. O debate será apresentado pela coordenadora do curso de Direito, Alessandra Mara e mediado pela professora Núbia de Paula. Por causa da pandemia, não haverá plateia e os candidatos estarão virtualmente conectados.

Os oito candidatos a prefeito foram convidados: Dr. Vinícius (Rede Sustentabilidade), Dr. Xaropinho (MDB), Fernando Mendonça (PRTB), Gabriela Clemente (Psol), Junio Araújo (Solidariedade), Maria do Carmo (PT), Vittorio Medioli (PSD), Zulu (PCB). Até o momento a instituição não recebeu a confirmação de apenas dois deles: Dr. Xaropinho e Vittorio Medioli.

Como assistir - Os eleitores que quiserem conferir o debate podem acessar ao vivo à transmissão pelo canal do Youtube da Una. A previsão é que ele tenha duas horas de duração. (LinK do canal: https://youtu.be/IXQIHvIeazs)

116709544 1345019512359570 2792599149703159923 o

“Como instituição de ensino entendemos como uma missão promover um debate com candidatos à prefeitura, porque esse espaço faz parte do processo democrático da escolha dos eleitores”, diz a diretora da Una Betim, Tatiana Puiati.

Regras - O debate será dividido em três blocos.

1º Bloco: Saudação dos candidatos. A ordem de apresentação será mediante a sorteio. Cada saudação terá o limite de dois minutos para cada candidato.

2º Bloco: Haverá sorteio de duplas. Será sorteado os primeiros a fazerem perguntas e em sequência os respectivos candidatos da dupla que vão responder.
Esses candidatos que responderam primeiro, posteriormente realizaram suas perguntas aos candidatos que iniciaram o bloco fazendo as perguntas. As perguntas e respostas serão feitas por cada um da dupla sorteada antes de passar para a próxima dupla de candidatos. Será 1 (um) minuto para pergunta, 2 (dois) minutos para resposta, 45 (quarenta e cinco) segundos para réplica e 1 (um) minuto para tréplica.

3º Bloco: O último bloco será destinado às considerações finais onde os candidatos terão o tempo máximo de 1 (um) minuto e 30 (trinta) segundos para sua última fala.

O primeiro turno das eleições municipais deste ano será no dia 15 de novembro.

Betim Tintas

barra covid19

 

Sistema pode ser consultado por qualquer cidadão

 

Consultas por município e cargo, acesso à informações detalhadas sobre a situação dos candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador, que pediram registro para concorrer às Eleições Municipais de 2020 já estão disponíveis na plataforma DivulgaCandContas, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A ferramenta traz ainda todos os dados declarados à Justiça Eleitoral, inclusive informações relativas às prestações de contas dos concorrentes

Acesso

O sistema é aberto a todos os cidadãos, sem necessidade de cadastro prévio ou autenticação de usuário. Na consulta, basta selecionar a unidade da federação no mapa ou a sigla do estado que quiser informações.

Na página principal do sistema, o interessado encontrará o quantitativo total de candidaturas por cargo (prefeito, vice-prefeito e vereador). No mapa do Brasil, é possível filtrar a pesquisa clicando na unidade da Federação e depois no cargo desejado. Em seguida, aparecerá uma lista com todos os políticos que concorrem ao cargo no estado.

Selecionado o nome do candidato, é possível obter informações sobre o seu número, partido, composição da coligação que o apoia (se for o caso), nome que usará na urna, grau de instrução, ocupação, site do candidato, limite de gasto de campanha, proposta de governo, descrição e valores dos bens que possui, além de eventuais registros criminais. Também é possível acompanhar a situação do pedido de registro e eleições anteriores das quais o candidato tenha participado.

Prazo

A ferramenta é atualizada toda hora à medida em que chegam solicitações de registros à Justiça Eleitoral. No dia 26 de setembro, às 19h, termina o prazo para os partidos políticos e coligações apresentarem o requerimento de registro de candidatos e chapas à Justiça Eleitoral.

Caso os partidos políticos ou coligações não tenham requerido o registro de algum candidato escolhido em convenção, a data-limite para a formalização individual do registro perante o TSE ou algum Tribunal Regional Eleitoral (TRE) é o dia 1º de outubro, também até as 19h.

Situação da candidatura

A situação do registro do candidato aparece ao lado da foto, além do tipo de eleição à qual ele está concorrendo e um guia sobre os termos, inclusive os jurídicos, utilizados para definir a situação dele perante a Justiça Eleitoral.

Quando o processo é registrado na Justiça Eleitoral, é informada a palavra “cadastrado” e, em seguida, “aguardando julgamento”. Isso significa que o candidato enviou o pedido de registro de candidatura, mas o pedido ainda não foi julgado, ou seja, o processo está tramitando e aguarda análise.

Após o processo ser apreciado, o registro pode ser considerado “apto” ou “inapto”. Caso o candidato não tenha nenhuma contestação e o pedido tenha sido acatado, a situação que aparecerá no sistema será “apto” e “deferido”. Candidatos que aparecem como aptos, mas houve impugnações e a decisão é no sentido de negar o registro. Nesse caso, a situação será “apto” e o complemento será “indeferido com recurso”.

Há ainda candidatos que apresentaram o registro e as condições de elegibilidade avaliadas foram deferidas pelo juiz e, no entanto, o Ministério Público Eleitoral (MPE) ou o partido recorreu da decisão. Nessa hipótese, a condição será “apto” e “deferido com recurso”.

Na situação de registro julgado como apto, ainda há possibilidades de situações como “cassado com recurso” ou “cancelado com recurso”. Isso ocorre quando o candidato teve o registro cassado ou cancelado pelo partido ou por decisão judicial, porém apresentou recurso e aguarda uma nova decisão.

Por fim, também consta do sistema a condição de “inapto”, com os complementos: “cancelado”, quando o candidato teve o registro cancelado pelo partido; “cassado”; “falecido”; “indeferido”, quando o candidato não reuniu as condições necessárias ao registro; “não conhecimento do pedido”, candidato cujo o pedido de registro não foi apreciado pelo juiz eleitoral; e “renúncia”.

Contas

O sistema também disponibiliza as informações relativas às prestações de contas dos candidatos das eleições. O usuário pode fazer a pesquisa das receitas dos concorrentes por doadores e fornecedores, além de acessar a relação dos maiores doadores e fornecedores de bens e/ou serviços a candidatos e partidos políticos.

 

Betim Tintas

Protocolos serão adotados no primeiro e no segundo turno

anuncie aqui

Por causa da pandemia do novo coronavírus, uma série de protocolos de segurança serão adotados pela Justiça Eleitoral no primeiro e no segundo turno das eleições municipais nos dias 15 e 29 de novembro, respectivamente. Elaborado por uma equipe de especialistas dos hospitais Albert Einstein, Sírio-Libanês e por técnicos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), consultados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o plano de segurança sanitária para as eleições municipais de 2020 é focado em duas frentes: mesários e eleitor. Cartazes ilustrativos com o passo a passo da votação serão fixados nas seções eleitorais.

Eleitores

Horário de votação ampliado: 7h da manhã até as 17h. Até as 10h será preferencial para maiores de 60 anos. Máscaras: uso obrigatório, sem ela o eleitor não poderá votar. Caso seja necessário, o mesário pode pedir que o eleitor se afaste e abaixe a máscara para conferir a foto na identidade. Distanciamento: será exigido mínimo de 1 metro. Comida: não será permitido comer ou beber nada na fila de espera. A medida é para evitar que as pessoas tirem a máscara.

Álcool em gel: será distribuído em todas seções para que os eleitores limpem as mãos antes e depois da votação.

Caneta: o TSE recomenda que os eleitores levem sua própria caneta para assinar presença no caderno de votação.

Mesários receberão máscaras e terão que trocá-las a cada quatro horas, usar álcool e uma proteção facial de acetato (face shield), que terá de ser usada o tempo todo.

Covid-19

Tanto mesários quanto eleitores que estiverem com sintomas da covid-19 no dia do pleito não devem comparecer ao local de votação. Posteriormente, a ausência poderá ser justificada na Justiça Eleitoral.

aki

O segundo fim de semana da corrida pela prefeitura de Betim, na região metropolitana, foi marcado por posturas antagônicas dos candidatos. Enquanto de um lado alguns optaram por continuar com as reuniões virtuais e, um deles, até criou um canal virtual de diálogo com os eleitores, outros postulantes, mesmo com todas as recomendações sanitárias para que não haja aglomerações nas ruas em virtude da pandemia da Covid-19, intensificaram o corpo a corpo e as caminhadas nos bairros da cidade. 


barra covid19

No sábado (3), o candidato pelo PSD à reeleição em Betim, Vittorio Medioli, lançou a Central 55, um espaço para a transmissão de teleconferências e reuniões virtuais de campanha. Segundo Medioli, a plataforma é mais um canal que permite a interação direta com os eleitores, sem que sua campanha desrespeite as medidas de biossegurança contra o novo coronavírus. 

“Como gestor público, vejo com muita preocupação esta campanha. Nós fizemos um compromisso de respeitar o eleitor e evitar, ao máximo, o contato (físico) das pessoas. Ao usar essas plataformas, que hoje são de uso comum e muito baratas, dá perfeitamente para dirigir o recado aos setores e as regionais e, ao mesmo tempo, evitar o contágio da doença”, afirmou Medioli. 

Já o candidato a prefeito pelo Solidariedade, Junio Araújo, voltou a fazer uma caminhada com aglomerações, na manhã deste domingo (4), em que ele percorreu a avenida rio Madeira, no bairro PTB, cumprimentando moradores e comerciantes da região. A reportagem tentou falar com o postulante, mas, como o ato iniciou com uma hora de atraso, ele não pode dar entrevista antes do início da caminhada.

Maria do Carmo Lara, candidata à prefeitura pelo PT, também fez um corpo a corpo na feirinha do bairro Jardim Teresópolis. Em publicação em suas redes sociais, a prefeiturável disse que “é fundamental revitalizarmos este espaço (da feirinha) para garantir dignidade aos comerciantes e contribuir com as pessoas que fazem compras no local”.

Fernando Mendonça, que disputa a prefeitura pelo PRTB, e José Augusto Bernardes, candidato à prefeitura pelo PCB, não tiveram agenda de campanha neste fim de semana. “Começarei a fazer as visitas aos bairros a partir da semana que vem”, informou Mendonça. “Os casos de Covid continuam a crescer, as pessoas estão brincando com as coisas. Há muitos políticos que estão saindo fora das normas. Por isso, vamos continuar caminhando, sempre respeitando as regras de segurança. Temos que fazer as eleições, mas também nos preocupar com a saúde das pessoas”, ponderou Zulu. 

Por meio de sua assessoria, Vinícius Resende, candidato à prefeitura pela Rede Sustentabilidade, informou que no fim de semana realizou encontros com lideranças e apoiadores em vários bairros da cidade.

anuncie aqui

Já o candidato do MDB à prefeitura, Dr. Xaropinho, e a prefeiturável pelo PSOL, Gabriela Clemente, não foram encontrados pela reportagem para falar sobre as respectivas agendas de campanha do fim de semana.

Número é 36% menor do que em 2016, quando foram 11 postulantes ao cargo

Em convenção virtual, sigla sugeriu o nome da ex-secretária municipal de Gabinete e de Governo para compor a futura chapa do pré-candidato a prefeito de Betim

anuncie aqui

Em convenção virtual realizada na noite desta terça-feira (15), o PSL indicou o nome da economista Cleusa Lara como pré-candidata a vice na chapa encabeçada pelo prefeito Vittorio Medioli (PSD) que buscará a reeleição em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. 

A indicação, segundo o presidente do PSL de Betim, Ronie Von Fonseca, tem como base a carreira e a experiência política de Cleusa, que já ocupou as secretarias municipais de Gabinete e de Governo.  “A vida política de Vittorio sempre contou com grande participação de Cleusa, que no início dos anos 90, quando ele ainda era deputado federal, já fazia a interlocução do gabinete dele com os municípios. E, ao longo dos anos, ela continuou participando ativamente da carreira política de Vittorio, tanto que no mandato dele como prefeito exerceu com competência os cargos de secretária de Gabinete e de Governo. Por isso, a indicação dela era mais que natural”, afirmou. 

Cleusa Lara, que também é pós-graduada em administração pública municipal, disse que fica honrada com a indicação para ser a candidata a vice. “Fico muito feliz. Considero essa indicação um reconhecimento a todo esse trabalho que desenvolvi ao longo desses anos ao lado de Vittorio. E gostaria de aproveitar a ocasião para incentivar as mulheres a participarem cada vez mais ativamente do processo eleitoral, pois temos muito a contribuir com as políticas públicas municipais”, ressaltou. 

LIDERE

Dirigentes de partidos que formam a ampla aliança de apoio à pré-candidatura de Vittorio participaram da convenção e apoiaram a indicação de Cleusa Lara.

Em sua participação na convenção, o prefeito Vittorio Medioli fez um balanço de sua gestão e enalteceu a indicação de Cleusa. "Esperávamos que os partidos indicassem quem eles esperavam ser a melhor opção. E eles indicaram a Cleusa, de quem tenho muito orgulho de ser minha futura vice. Ela construiu uma vida pública fantástica, é meu braço-direito há 33 anos, e tenho certeza que fará o melhor por Betim", disse. 

O PSL, em convenção, definiu ainda que lançará 34 nomes para a disputa da Câmara Municipal. Atualmente,  o partido tem um vereador e pretende eleger três nomes.

Decisão foi comunicada em vídeo publicado nas redes sociais, no qual o advogado afirma que a retirada se deu por causa de uma decisão da cúpula do Partido Progressista

anuncie aqui

Em um vídeo publicado nas redes sociais, na última quarta-feira (16), Álvaro Amaral Franco, mais conhecido como Alvinho do Bio, em referência ao seu pai, o saudoso ex-prefeito Newton Amaral Franco (1973-1976 e 1983-1985), comunicou que adiou seu projeto político e não disputará mais a Prefeitura de Betim nestas eleições.

Segundo ele, a retirada do seu nome se deu em função de uma decisão da cúpula partidária do Partido Progressista, ao que ele se filiou no início de 2020. Na ocasião, o advogado ainda anunciou que vai caminhar com Vittorio Medioli na disputa majoritária. 

“Sou totalmente comprometido com a democracia e, por pensar em política como um instrumento de transformação das pessoas e não um processo de enriquecimento individual, respeito as decisões do partido ao qual estou filiado. Tenho sonho de continuar o legado que meu pai, o Bio, deixou para a cidade”, disse Alvinho no vídeo.

Em entrevista ao jornal O Tempo Betim, o advogado deu mais detalhes sobre a reviravolta no pleito e falou sobre os motivos de apoiar Medioli.

Por que o senhor decidiu se candidatar a prefeito?

Há muitos anos, milito na área criminal. Sou pós-graduado em ciências criminais e desenvolvi projetos de inclusão social, através do esporte de aventura, área que acredito ser um instrumento de inclusão. Sempre fui filiado ao MDB, partido do meu pai, e, nas últimas eleições, me candidatei a vereador, tendo mais de mil votos, mesmo sem recursos. Neste ano, fui convidado pela direção estadual do PP a ser candidato a prefeito, propondo renovação, dar continuidade ao legado do meu pai. Com isso, nós (Alvinho e o grupo de apoiadores dele) ajudamos a montar a chapa de vereadores e a comissão provisória do PP.

O que aconteceu depois?

Após o período das filiações partidárias, sentimos a desconstrução do nosso nome, não éramos mais chamados nem para as reuniões do diretório municipal. Na convenção partidária, não fui convidado. Por seis meses, solicitamos ao presidente municipal do PP que nos levasse ao presidente estadual para mostrarmos nossas propostas, o que não foi feito. Foram sérias questões políticas que nos fizeram nos sentir alijados do projeto. A situação chegou a tal ponto que houve reuniões com outros prefeituráveis na sede do partido. 

Foi isso que culminou com o rompimento do seu grupo com o diretório municipal do PP?

Na verdade, a direção me informou em reunião que não haveria mais majoritária. Diante dessa desconstrução, dessa falta de respeito, decidi me afastar da comissão.

Porque decidiu apoiar Vittorio Medioli?

Optamos por Vittorio Medioli pela austeridade nas contas públicas, na transparência das obras de contrapartida. Em uma reunião que tive com ele, Vittorio mostrou como estão as contas públicas, a seriedade da administração e a importância de dar continuidade nesta transformação. Muitas obras e projetos estão no meio do caminho, e precisamos dar continuidade.

Caso Vittorio seja reeleito, como será a postura do seu grupo?

Nos colocamos à disposição dele, mas não há fatores condicionantes. O que oferecemos (Alvinho e apoiadores) foi nossa força de trabalho e nossas intenções. Podemos contribuir, seja dentro ou fora. O que for bom para Betim, podem contar com a gente. 

Betim Tintas

Então, como o senhor avalia que seria a sua contribuição?

Sou o terceiro de seis filhos de Newton e Rosa Amaral Franco. Meu pai era um homem de respeito com a coisa pública, com o cidadão, preocupado em organizar a cidade para o crescimento que viria. O Bio vem de uma família de betinenses, era topógrafo e rodou o Brasil demarcando obras, levando extensão elétrica, abrindo estradas. Ele tinha como diferencial a preocupação, já naquele tempo, de preparar Betim para o crescimento vertiginoso que as cidades metropolitanas já estavam recebendo e ele tinha plena consciência que se Betim não fosse industrializada, teria vários problemas sociais futuros. Por isso, ele trouxe para Betim a Fiat, construiu a escola Gigante da Vila, o Horto Municipal. Ele era um homem visionário, e é esse legado que eu carrego e que quero trazer para a cidade para ajudar na reconstrução de Betim. 

Veja o vídeo publicado por Álvaro Amaral: